novembro 10, 2016

Sinais e sintomas

Sintoma é qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não consistir-se em um indício de doença. Sinais são as alterações no corpo ou organismo percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde. A diferença entre sintoma e sinal é que o sinal é aquilo que pode ser percebido por outra pessoa sem o relato ou comunicação do paciente, e o sintoma é a queixa informada pelo paciente, mas que só ele consegue perceber. Alguns sinais e sintomas podem representar a presença de câncer num indivíduo.

Os principais são:

• Perda de peso sem uma causa aparente;
• A presença de uma tumoração ou caroço em qualquer parte do corpo;
• Mudanças no funcionamento do hábito intestinal ou do hábito urinário bexiga que sejam permanentes;
• Desconforto durante e logo após a alimentação, como dificuldade para engolir, empachamento e má digestão após as refeições;
• Um novo sinal (ou mancha), ou a modificação das características de um sinal (ou mancha) antigo;
• Feridas que nunca cicatrizam;
• tosse ou rouquidão permanentes;
• Sangramento ou corrimento não habitual;
• Cansaço e desânimo persistentes e sem causa aparente.

A presença de um ou mais sintomas pode ser um indício de que o câncer esteja em fases mais avançadas. Isto porque à medida que o tumor se desenvolve e principalmente evolui com metástases, os órgãos são invadidos e tem sua função comprometida, gerando sintomas. Muitas vezes, o paciente se encontra com tantos sintomas que chega a estar debilitado e seu tratamento pode ser comprometido.

É importante ressaltar que na maior parte das vezes, a presença destes sinais e sintomas não significa que o indivíduo tem câncer. Eles podem ser causados por outras enfermidades que não uma neoplasia maligna. Somente um médico poderá avaliar a gravidade e a relevância destes sinais e sintomas.

Da mesma forma, a presença de um câncer não necessariamente requer a presença de sintomas. Nos casos de tumores malignos em fases iniciais, geralmente o diagnóstico é feito através de exames de rastreamento, ou seja, em caráter preventivo. Sendo assim, o paciente não apresenta nenhum sintoma no momento do diagnóstico. Por isso, muitas vezes é difícil o paciente receber o comunicado de diagnóstico de câncer sem ter sintomas: “Como assim doutor, eu não sinto nada?”. Essa situação é muito favorável para o tratamento. Além do tumor se encontrar em fases iniciais, aumentando as chances de cura, a ausência de sintomas significa que o paciente está em ótimas condições clínicas, com saúde para enfrentar e sentir menos o tratamento.

Quanto mais cedo o indivíduo procurar um serviço de saúde para esclarecimento diagnóstico, mais precocemente pode-se identificar um câncer.